Ernani Ssó

É escritor, tradutor e jornalista. Como autor tem 21 publicações para o público infantil e 10 publicações para jovens e adultos, sendo a última o romance Como o diabo gosta, pela Cosac Naify (2015). Como jornalista, colabora com diversos veículos, como Pasquim (Rio), Nicolau (Curitiba), Revista Blau (Porto Alegre), Rascunho (Curitiba), Suplemento Cultural Pernambucano (Recife), Cândido (Curitiba), Não (jornal eletrônico de Porto Alegre), Portal Literal (site do escritor Luis Fernando Verissimo, RJ) e o blog da Companhia das Letras (SP), além de assinar uma coluna semanal no site Coletiva.net e no jornal eletrônico Sul21, ambos de Porto Alegre. Já traduziu mais de 50 obras, dentre elas Inés de minha alma, de Isabel Allende (Bertrand Brasil, 2007), Heróis demais, de Laura Restrepo (Companhia das Letras, 2011), Dom Quixote, de Miguel de Cervantes, volumes I e II (Penguin-Companhia das Letras, 2012), e Novelas exemplares, de Miguel de Cervantes (Cosac Naify, 2015). Além dos vários prêmios que recebeu, teve três indicações ao Prêmio Jabuti: em 2008, por Contos de Morte Morrida, em 2011, por Com mil diabos, ambos de sua autoria, e em 2013 pela tradução de Dom Quixote, todos publicados pela Companhia das Letras. Colaborou com um ensaio no livro Tradução literária: projetos e práticas do tradutor (2017).